20 January, 2020

Parcelas do Minha Casas Minha Vida são fixas ou sofrem alterações?

O Minha Casa Minha Vida é o principal programa brasileiro que facilita o acesso à moradia própria para famílias de baixa renda. O intuito do programa é fornecer condições especiais e mais acessíveis para que seja possível fugir do aluguel e ter uma vida mais confortável vivendo na casa própria.

Para que isso aconteça, através do Minha Casa Minha Vida as famílias podem financiar os imóveis desejados contando com subsídios diferentes, conforme a renda, além de prazos maiores para o pagamento. Todas as prestações são designadas para caber no bolso da família contratante, para que assim tenha condições de arcar com todo o financiamento.

Muitas pessoas possuem dúvidas sobre as parcelas do programa, afinal elas representam um gasto mensal durante anos que poderá comprometer uma parte da sua renda. Por isso, nada mais natural que querer saber tudo sobre elas, tirar as dúvidas e descobrir como elas funcionam. A seguir você poderá descobrir se as parcelas do Minha Casa Minha Vida são fixas ou se possuem valores diferentes ao longo dos anos. Confira!

Parcelas do Minha Casa Minha Vida

As parcelas do Minha Casa Minha Vida são extremamente importantes e é através delas que os usuários podem ter acesso à casa própria. Ao quitarem as parcelas, o imóvel é totalmente seu e você pode fazer o que quiser com ele. As parcelas do programa são definidas de acordo com a faixa de renda em que a família se encaixa, além dos subsídios oferecidos pelo governo, por isso podem variar de uma família beneficiária para outra.

O programa geralmente oferece prazos maiores para quitar o financiamento, além de permitir que as famílias escolham entre arcar com parcelas fixas ou com parcelas cujo valor varia. Essa é uma escolha que você pode fazer e nós a explicaremos com mais detalhes a seguir.

Benefícios das parcelas do Minha Casa Minha Vida

As parcelas do Minha Casa Minha Vida oferecem vários benefícios para as famílias que contratam o financiamento de um imóvel. Por exemplo, o governo federal concede alguns subsídios para a família, o que auxilia no pagamento do financiamento. Com isso, o valor total financiado é diminuído, o que também diminui o valor de cada parcela que você e sua família precisam pagar.

Outro diferencial do programa é que suas parcelas tendem a ser mais baixas do que os financiamentos normais, por isso muitas pessoas conseguem aderir ao financiamento sem prejudicar a sua renda. O programa também conta com uma taxa de juros menor, o que influencia no valor final das parcelas, sendo excelente para quem quer economizar. Até mesmo pessoas negativadas, ou seja, com algum tipo de restrição no nome conseguem financiar através da modalidade 1 do Minha Casa Minha Vida.

Parcelas fixas x parcelas alteradas

O que muito preocupa as famílias beneficiárias do programa é o valor das parcelas ao longo dos anos, afinal é possível quitar o financiamento em até 35 anos. Durante todo esse tempo, uma parte da renda ficará comprometida. É muito importante, então, saber se será o mesmo valor que ficará comprometido ao longo do tempo ou se valores diferentes. Em outras palavras, você deve buscar saber se as parcelas do programa são fixas ou se sofrem alterações.

A verdade é que o governo disponibiliza as duas opções para a família, cabendo a ela escolher. Quem optar pelo pagamento do financiamento usando a Tabela SAC – Sistema de Amortização Crescente -, terá alterações nas parcelas: primeiro irá pagar as parcelas de maior valor e assim os valores vão reduzindo ao longo do tempo. Nesses casos, o valor comprometido de sua renda só irá diminuir.

Também é possível pagar o financiamento usando a Tabela Price, onde as parcelas possuem um valor fixo e podem ser quitadas em até 360 meses, sendo que a faixa 1 possui um tempo ainda maior. A primeira opção é a mais utilizada, justamente pelo fato de dos gastos diminuírem com o tempo e também possuir menores juros a longo prazo.

Parcelas fixas x Alta taxas de juros

É bom ficar de olho na hora de escolher a modalidade de pagamento, pois as altas taxas de juros podem estar presentes nas parcelas fixas. Tudo vai depender do valor do imóvel e do prazo de pagamento, mas geralmente as taxas de juros para quem opta pelas parcelas fixas é muito maior, representando um gasto desnecessário.

Além disso, o parcelamento de valor fixo é muito menos vantajoso do que o pagamento por meio da Tabela SAC, pois assim os seus gastos diminuem ao longo dos anos e cada vez menos a sua renda é comprometida. Pense bem, avalie a sua renda e somente depois escolha a melhor opção para você e sua família.

Quem pode participar do Minha Casa Minha Vida

Diversas pessoas podem participar do Minha Casa Minha Vida e usufruir de suas parcelas. Há quatro faixas de renda no programa e para participar você deve se encaixar em alguma delas, e então atender os requisitos dessa faixa. A faixa 1 consiste em famílias com renda mensal de até R$1,8 mil. Essas famílias arcam com parcelas menores do que 30% da sua renda mensal e possuem até 10 anos para quitar o financiamento.

A faixa 1,5 consiste em famílias com renda de até R$2,6 mil por mês, cujas parcelas variam conforme a análise de crédito. As famílias podem contar com até 30 anos para quitar o financiamento, além de juros de apenas 5% ao ano. Na faixa 2 são famílias com renda mensal de até R$4 mil e podem receber subsídios de até R$29 mil. Por último, há a faixa 3 que consiste em famílias com renda mensal de até R$9 mil. Todos os benefícios dessa última faixa variam conforme a análise de crédito que é realizada pelo banco. As parcelas do Minha Casa Minha Vida podem ser a melhor forma para você adquirir o seu imóvel. Planeje o seu orçamento, escolha com inteligência o modo de parcelamento e comece a viver no seu próprio imóvel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *